Lucro Real Para E-commerce
Escrito por Atendimento Classe A no dezembro 30, 2021 em Blog

Compartilhar

Empresas que optem pelo regime do Lucro Real podem receber incentivos fiscais quando investem em pesquisas, desenvolvimento e inovação

Nesse texto você vai descobrir, dentre outras coisas, sobre:

 

Primeiramente, quando se fala em tributação para uma empresa de tecnologia já é sabido que haverá uma série de desafios, que são únicos e mais complexos quando comparados aos enfrentados por outras empresas.

Assim, esse tipo de negócio trabalha arduamente com a inovação dos produtos, ao mesmo tempo em que precisa lidar com impostos, tributos, contabilidade e tudo que envolve a parte burocrática.

O fato é que, desta forma, as empresas de tecnologia devem prestar muita atenção, pois podem ser mais afetadas que outras. Os principais tipos de empresas de tecnologia existentes são as SaaS, Software house, E-commerce e Startups.

Essas empresas podem estar enquadradas em diferentes tipos de regimes tributários, de acordo com algumas particularidades do negócio e seus rendimentos.

Porém, muitos gestores têm dúvidas sobre como funciona a tributação nos regimes tributários existentes.

Regimes tributários para empresas de tecnologia

As empresas de tecnologia devem se enquadrar em algum regime de tributação, que definirá a cobrança de impostos para esse setor.

A propósito, é importante ressaltar que essa escolha é realizada todos os anos, ou no início das atividades, ou no primeiro recolhimento do IRPJ.

Simples Nacional

Criado para excluir a burocracia com relação aos tributos pagos pelas micro e pequenas empresas. Desta forma, viabiliza melhores rendimentos do orçamento mensal de donos de pequenos negócios, reduzindo a porcentagem de impostos a serem quitados.

O fato é que as atividades de tecnologia tem seu anexo do Simples Nacional determinado pelo fator R. Assim, ele é o cálculo utilizado para definir em qual Anexo do Simples Nacional a organização se encaixa.

Lucro Presumido

Como já diz o nome, nesse tipo de regime, a Receita Federal faz o cálculo dos impostos devidos presumindo o valor do lucro do faturamento da empresa.

A fim de realizar o cálculo de tributos da forma correta, há uma tabela preexistente. No caso de empresas de tecnologia, a estimativa é de 32%.

Entretanto, caso a receita anual for de no máximo R$ 100 mil, o percentual pode ser reduzido pela metade.

Lucro Real

No lucro Real, o faturamento mensal ou trimestral da empresa é o que determinará o quanto será cobrado de imposto. Para alguns tipos de empresas, esse regime é obrigatório, devido à atividade desenvolvida.

Algumas atividades de tecnologia apuram PIS e COFINS sobre o regime cumulativo, tanto no regime lucro presumido, quando no Lucro Real.

É importante ressaltar que há um benefício do Lucro Real para E-commerce e empresas de tecnologia que se enquadram no Lucro Real.

A Lei 11.196/05, também chamada de “Lei do Bem”, faz a concessão de incentivos fiscais às empresas que investem em pesquisas e desenvolvimento, buscando inovação tecnológica.

Por meio do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações), o governo federal utiliza esse meio, a fim de viabilizar investimentos em inovação nas empresas de tecnologia.

Resumindo, nesse texto você leu sobre:

A classificação fiscal para e-commerce e empresas de tecnologia é de suma importância, por isso o primeiro passo é determinar qual o regime tributário mais adequado para elas. Sendo assim, é possível optar pelo Simples, Lucro Presumido e Lucro Real! Essa última, possui amparo pela Lei do Bem, com direito a incentivos fiscais para empresas que investem em pesquisas e inovação tecnológica.








    Procurando Escritório de Contabilidade Especializado?

    Clique em um dos botões abaixo para falar com um de nossos especialistas.

    Deixe seu comentário