smart store cliente da classe a contábil
Escrito por Atendimento Classe A no setembro 9, 2021 em Blog

MICRO MARKET JÁ É TENDÊNCIA DE NEGÓCIOS.

Micro Markets têm sido uma tendência, porém é necessário observar esses detalhes fiscais para evitar dissabores e ampliar as chances de sucesso do empreendimento.

Nesse texto você vai descobrir, dentre outras coisas, sobre:

  • O que são Micro Markets;
  • Se eles precisam de CNPJ e qual o CNAE ideal;
  • E como se dá a gestão fiscal das vendas e tributos.

 

O Que São Micro Markets?

O Micro Market, ou micro-mercado, é a grande tendência de empreendimento atual, oferecendo comodidades que vão ao encontro do comportamento contemporâneo de mobilidade com interação ágil e conveniente.

Os Micro Markets são minimercados e compactos estabelecimentos comerciais instalados dentro de condomínios residenciais, ambientes corporativos, faculdades, hotéis, dentre outros lugares.

A principal característica dele está relacionada ao comportamento de compra, sendo uma solução de autoatendimento na qual as pessoas realizam todo o processo. E, dentre esses processo, inclusive o pagamento, sem nenhuma interação ou intervenção humana.

Este tipo de negócio tem crescido bastante por oferecer, além da experiência diferenciada de compra, um mix de produtos atraente, com itens comuns a supermercados, padarias e açougues.

Micro Markets Precisam de CNPJ?

Saiba que, mesmo sendo uma forma simples e moderna de empreender, existem algumas obrigações fiscais a serem cumpridas.

Então, se você está planejando empreender em Micro Markets no Estado de São Paulo é necessário sim abrir seu CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), pois a legislação fiscal de São Paulo interpreta e orienta que os Micro Markets são verdadeiros estabelecimentos comerciais.

Por isso a importância do suporte técnico de um profissional especializado em contabilidade, gestão e negócios, que vai, dentre outras coisas, indicar o CNAE (Código Nacional de Atividades Econômicas) 56.11-2/03, para lanchonetes, casas de suco e similares.

Como é Feito o Registro Fiscal das Vendas em Micro Markets?

Smart Store, Cliente da Classe A

Os Micro Markets têm toda a sua lógica fundamentada no autoatendimento, por meio de controles digitais, telemáticos ou de vídeo.

Dessa forma, a própria pessoa realiza todas as fases da compra e, dentre elas, também a coleta de cupom fiscal.

É por isso, como na maioria dos estabelecimentos comerciais convencionais de venda a consumidores, o Estado de São Paulo exige que se realize a emissão de cupom fiscal eletrônico (CFe) ou Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFCe).

Sendo assim, você precisará adquirir um certificado digital com ponto oficial validador, como a Classe A. Bem como, também deverá adquirir um equipamento SAT (Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos).

Como é Feito o Pagamento dos Impostos de Micro Markets?

A tributação das vendas deve ser realizada por meio de um dos regimes tributários existentes: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real, se o faturamento for maior do que o permitido pelo MEI (Microempreendedor Individual).

É nessa hora que se assusta quem quer empreender, pois a carga tributária já tem a fama de vilã, mas na verdade é muito simples!

Afinal, com a correta classificação fiscal de todos os produtos vendidos, os impostos não serão elevados. Ocorre que, na maioria dos casos, as pessoas empreendem sem a assessoria de contadores especializados naquele mercado específico.

Portanto, para as empresas que estão começando ou ainda com um faturamento mais baixo, o mais indicado é o enquadramento pelo regime tributário do Simples Nacional, no qual será tributado inicialmente em menos de 4% de todas as suas vendas realizadas.

Agora que você já leu até aqui, os caminhos estão mais fáceis, mas para evitar dissabores, ajustar o foco do seu Micro Market e ampliar a probabilidade de sucesso, é fundamental que você converse com especialistas em contabilidade, gestão e negócios.

*Fonte legal: RESPOSTA À CONSULTA Nº 22596 DE 16/12/2020

Resumindo, nesse texto você leu sobre:

O que são os Micro Markets e os locais mais comumente usados para empreender nesse segmento. Também viu as bases legais de abertura de empresa para esse modelo de negócio, suas vantagens quanto à enquadramento tributário e a melhor forma de operar as vendas e controles fiscais.








    Quer Abrir um Micro Market?

    Clique em um dos botões abaixo para falar com um de nossos especialistas.

    Deixe seu comentário